,

Evite o herpes genital na gravidez

Uma infecção provocada pelo vírus do herpes nos primeiros 28 dias de vida do bebê pode ter consequências graves.

O herpes genital é perigoso na gravidez e você deve evitar que passe para o bebê. Em 60% dos casos ocorre a morte do bebê e mesmo com tratamento antivirais os bebês conseguem evoluir, mas com bastantes sequelas.

Transmissão do herpes genital na gravidez

Estas transmissões de vírus ocorrem normalmente no canal do parto, mas podem também ocorrer na parte intrauterina do feto. Nos casos em que a infecção ocorre no final da gestação o risco é menor.
Normalmente não há sintomas ou sinais externos do herpes genital feminino. Menos de 1% das crianças nascidas através de parto normal chegam a desenvolver a doença.
Porém, quando se dá o aparecimento de uma infecção intrauterina, o que é algo muito raro, há o risco de contrair coriorretinite, microcefalia e hidrocefalia. Aqui, a situação clínica neonatal pode desenvolver-se das seguintes formas:

1. Infecções com envolvimentos do sistema nervoso central

Correspondem a 30% dos casos. Estas infeções estão associadas a anorexia, convulsões e letargia. O tratamento deve ser administrado o mais rapidamente possível para evitar complicações. Nestes casos as crianças crescem com epilepsia, cegueira, atraso no desenvolvimento e deficit cognitivo. São 50% dessas crianças que infelizmente têm complicações neurológicas antes de completar 1 ano de idade.

2. Infecções da pele, mucosas e olhos

Correspondem a 45% dos casos. Aqui há o aparecimento de vesículas sem qualquer envolvimento do sistema nervoso central ou órgãos internos. Com tratamento, para além do vírus não ser eliminado do organismo a infeção se difunde. As crianças evoluem bem, sem sequelas quando tratadas com doses altas de Aciclovir.

3. Infecções disseminadas

Correspondem a 25% dos casos. Aqui o vírus atinge o cérebro, pulmões e fígado, entre outros órgãos. Mesmo com tratamento o risco de morte é de 30%.
A forma mais eficaz de prevenção seria a criação de uma vacina contra o HSV, contudo ainda não foi desenvolvida.
O uso de preservativo reduz em 50% as transmissões do vírus e a abstinência sexual no final da gestação é muito importante, contudo é complicada de implementar nos casos em que o HSV foi transmitido antes de engravidar.

O Aciclovir é receitado logo no primeiro momento em que a infecção aparece, por isso é muito importante fazer um exame de sangue de forma a identificar as grávidas infectadas pelo vírus, para serem orientadas para a abstinência. Nestes casos o parto cesariano é o recomendado.

Para saber mais, assista ao vídeo:

Gostou do nosso artigo? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *