,

Amei Triste

Saiba como identificar se o seu filho está jogando o jogo do suicídio

Jogo já fez vítimas no Brasil, temos que estar atentos aos nossos filhos!

 

O jogo Baleia Azul já fez vítimas no Brasil e as autoridades nacionais estão trabalhando para prevenir que mais suicídios aconteçam. Para entender um pouco de como o jogo funciona e quais as pessoas que jogam, a Delegada Fernanda Freitas está trabalhando no perfil dos jogadores e já identificou que quem joga tem entre 12 e 14 anos.

Atualmente no Brasil foram identificadas 2 vítimas fatais e 1 que acabou por ser salva pela mãe antes que o pior acontecesse. A Polícia Federal alerta os pais para que tenham atenção ao comportamento dos filhos, supervisionem o uso da internet, mantenham um diálogo aberto para que o filho confie neles e conte o que está passando.

Para os pais preocupados, que não sabem o que fazer, a polícia dá algumas dicas sobre como se prevenir:

Fique atento às mudanças no comportamento

Se o seu filho (ou filha) está se comportando de uma maneira que não é comum, já é um motivo para ter mais atenção. Não conversar com os pais, usar roupas que escondem as partes do corpo, perder o apetite, passar muito tempo sozinhos, podem ser indícios de que eles estão sofrendo de algo que não conseguem contar. De acordo com a doutora em psicologia escolar Elizabeth Sanada, os pais devem estar atentos a qualquer uma dessas mudanças para identificar as pistas de que os filhos não estão bem.

Se interesse pela vida dos filhos

Se interessar pela rotina do filho pode ajudar a identificar dificuldades pelas quais os filhos podem estar passando. Esse interesse, segundo Elizabeth, deve ser genuíno e deve acontecer sempre, não só nesse momento em que o jogo está em voga. É necessário passar confiança aos filhos para que eles possam se abrir com os pais sobre quaisquer assuntos que os atormenta.

Os filhos sofrem de vulnerabilidade

Se não se sentirem apoiados e não viverem em um lar que se sintam seguros, os filhos podem sofrer de baixa autoestima e isso os deixará mais vulneráveis a entrar nesse tipo de jogo. Muitas vezes os filhos não entendem a gravidade dos assuntos a que são expostos, e estar à vontade com o diálogo com a família pode ser uma mais valia na hora do desabafo.

Mostre que existe confiança entre vocês

Os jovens precisam saber que podem confiar nos pais para tudo o que precisarem. Para que eles não se deixem influenciar com as ameaças do jogo, eles devem saber que podem pedir ajuda dos pais em qualquer momento da vida deles.

Diálogos na escola

A escola é segundo lugar que os jovens passam mais tempo da vida, e elas são cruciais para ajudar a identificar situações de risco. As crianças que começam a jogar esse jogo são aquelas que estão mais vulneráveis e a escola consegue identificar, através dos laços que cria com os estudantes, quais crianças estão com falha no desenvolvimento e apresentando um comportamento suspeito. Muitas escolas no Brasil estão adotando estratégias para conscientizar sobre a importância da vida e a alegria de viver.

As crianças e adolescentes normalmente se comportam de maneira estranha, tem picos de mudanças de humor, e isso não deixa de ser normal, porém devemos estar atentos a essas mudanças pois se os nossos filhos estiverem se comportando de uma maneira que não é habitual, devemos nos precaver para que as consequências desse comportamento não sejam trágicas.

Fonte: extra.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O jogo do suicídio – o Baleia Azul

Saiba como identificar se o seu filho está jogando o jogo do suicídio