,

Restrição à codeína pelo governo australiano

Algumas pessoas estão revoltadas com a obrigação de ter receita médica para comprar medicamentos para dores que contenham codeína.

A população australiana está muito descontente com a restrição levantada aos medicamentos que contêm codeína. As pessoas reclamam que, apesar de existirem abusos da substância na comunidade, nem todos têm que ser penalizados.

O jornal News anunciou que em 2018 todos os medicamentos que contêm a substância vão exigir receita médica devido ao consumo excessivo da população. Já quando o site News.com.au, um site de notícias australiano, postou a história na sua página do Facebook, as reações foram rápidas e impetuosas: “que coisa estúpida”; “isso é ridículo”; “porque uma parte da comunidade abusa, todos os demais são penalizados… Isso não vai parar os viciados”. Os seguidores acham que a Austrália está cada vez mais se tornando em um “estado babá”, que não permite que a população faça nada sem a permissão do Estado.

Prescrição médica será necessária para comprar codeína

A partir de 2018, quando os australianos necessitarem do medicamento para amenizar os sintomas de enxaqueca, gripe ou resfriado, terão que ir ao médico para pedir o medicamento, o que vai demorar tempo, e piorar os sintomas. Algumas ainda confessam que vão parecer “viciados” por comprarem todo o stock antes da medida entrar em vigor, e pedem alguma medida que valide os seus sintomas para poderem comprar codeína sem prescrição médica.
Devido à falta de acesso a medicamentos, os habitantes do interior da Austrália estão preocupados com o inconveniente de ter que ir ao consultório para obter uma receita: “Eu tenho dor crônica e vivo e trabalho no interior do país – não há nenhum médico, meu médico está cinco horas afastado”. E sustentam que a medida irá levantar a venda de codeína no mercado negro.

Algumas pessoas são a favor da medida

Enquanto a maioria dos comentadores achou a decisão totalmente ridícula, outros estavam a favor – “Eu sou a favor. É muito fácil nos auto-medicarmos e correr o risco de sobremedicação”. Parte da população que é a favor da medida reclama que tem muita gente que tomam codeína por qualquer motivo, e as que têm condições crônicas deveriam ir no médico e encontrar outra solução.

O alerta da comunidade internacional

A decisão da Administração de Produtos Terapêuticos em cessar a venda de produtos com codeína veio depois de uma inundação de pedidos sobre o tema e também, o regulador responsável disse ter tomado em consideração que os EUA, a maior parte da Europa, Hong Kong, o Japão e os Emirados Árabes Unidos já haviam parado a venda de produtos com codeína sem receita. Um comunicado da TGA afirma que “os consumidores se tornam normalmente viciados em codeína” e também que “o uso indevido de produtos com codeína contribui para graves problemas de saúde, incluindo danos no fígado, úlcera de estômago, depressão, parada respiratória e morte”. As consultas públicas da entidade indicaram que muitos consumidores usam medicamentos de baixas doses de codeína para auto-tratar a dor crônica, mesmo que esta substância não esteja destinada a tratar condições de longo prazo.

Dependência da codeína

Um outro estudo mostrou que o risco de dependência parece aumentar com doses mais elevadas, o equivalente à dependência da morfina. Além do mais, a eficácia da codeína está sujeita a interações de medicamentos que podem aumentar o risco de overdose ou reduzir o efeito do fármaco, e quando usada por um longo período, pode causar uma síndrome de abstinência, tal como todos os opiódes.

A mudança será iniciada no dia 1 de fevereiro de 2018.

O que você acha da medida?

Fonte: news.com.au.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receita de pasta morango para clarear os dentes

Restrição à codeína pelo governo australiano