,

Pneumonia: causas e tratamentos

Essa infecção que atinge os pulmões prejudica milhões de brasileiros

A pneumonia é uma infecção que atinge os pulmões e surge devido a bactérias, vírus, fungos e protozoários.

O principal responsável é a bactéria Streptococcus pneumoniae, que, por algum erro no sistema de defesa do organismo, invade o corpo e fica nas vias respiratórias inferiores, onde existe uma zona que favorece a sua reprodução, o que provoca uma séria inflamação.

É possível identificar uma pneumonia através de uma radiografia do tórax. Os seus sintomas mais comuns são tosse, febre e dores na região do peito.

Para ter conhecimento de como a pneumonia influencia o dia a dia dos pacientes, o laboratório Pfizer encomendou uma importante investigação ao Instituto Global Market Research.

Após entrevistar 600 brasileiros que já tinham passado por um ataque nos pulmões, foi possível concluir que 59% dessas pessoas sofrem um intenso impacto emocional e social no decorrer do tratamento, o que interfere em relacionamentos, por exemplo.

De resto, 65% teve de faltar ao trabalho e 80% contou com despesas extras na farmácia.

Por outro lado, ficou evidente de que se sabe muito pouco sobre pneumonia: por exemplo, uma boa parte dos entrevistados afirma que podia ter parado de fumar para impedir a doença, mas somente um quinto sabia que existe uma vacina.

Vacina contra a pneumonia existe no Brasil

Esse desconhecimento foi o ponto de partida para o lançamento da campanha Pneumonia Pneumocócica Tem Vacina, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia e da Sociedade Brasileira de Imunizações.

A vacina se encontra disponível no nosso país nas versões 10, 13 e 23-valente. Cada número corresponde à quantidade de subtipos de bactérias de que a vacina nos protege. A primeira alternativa é obrigatória para quem tem menos de 5 anos. As restantes são recomendadas para a população adulta (a partir dos 50 anos) pela Sociedade Brasileira de Imunizações.

Logo, é necessário tomar uma dose de 13-valente e, após um semestre, uma dose de 23-valente. Depois de cinco anos, é preciso fazer um reforço de 23.

Os dados estatísticos comprovam o sucesso da vacina: por exemplo, de 2009 para 2015, houve uma descida de 7% de casos de pneumonia em crianças com menos de 4 anos.

A população idosa é aquela que mais origina preocupações: afinal, depois dos 60 anos, existe uma maior dificuldade em ingerir alimentos, o que aumenta o perigo de pneumonia.

Quem sofre de problemas crônicos, como transtornos cardíacos ou reumatológicos, também gera sérias preocupações, porque o seu sistema de defesa é mais fraco, não sendo capaz de agir contra as invasões dos vírus e bactérias, por exemplo.

Os fumadores também têm mais tendência para desenvolver um quadro de pneumonia, porque o cigarro danifica a barreira que defende os pulmões das bactérias.

5 dicas para lutar contra a pneumonia

1. Regime alimentar saudável;

2. Atividade física;

3. Higienização das mãos;

4. Fugir de ambientes secos durante a época do inverno, porque, com o frio, o corpo gasta imensa energia para aquecer o ar que vai para os pulmões, o que facilita o aparecimento de distúrbios respiratórios;

5. Ter cuidado com a gripe do vírus influenza: essa doença facilita a acomodação de bactérias.

Saiba mais sobre a bactéria Streptococcus pneumoniae

Essa bactéria vive na boca e na garganta e está na origem de outras patologias, como otite e sinusite.

Diferenças entre as patologias respiratórias mais frequentes

Pneumonia Pneumocócica

O que causa – a bactéria Streptococcus pneumoniae;

Como se manifesta – com uma febre com temperaturas superiores a 38º C, além de tosse com catarro e pus, dificuldades respiratórias e dores no peito;

Como evitar – vacinas 13 e 23-valente, mudança do filtro do ar condicionado e um bom estilo de vida;

Como tratar – antibióticos e hospitalização.

Gripe

O que causa – vírus influenza A, B ou C;

Como se manifesta – febre, fadiga, falta de conforto nos músculos e dores na garganta e cabeça;

Como evitar – faça a vacinação todos os anos, higienize as mãos e fuja de aglomerações;

Como tratar – remédios que atenuam os sintomas da doença.

Resfriado

O que causa – mais de 200 gêneros de vírus;

Como se manifesta – nariz entupido, febre baixa, dor ligeira na garganta…;

Como evitar – não leve as mãos aos olhos ou à boca e higienize constantemente;

Como tratar – analgésicos e antitérmicos que agem contra as principais manifestações.

Compartilhe!

Atenção: As dicas do site não substituem uma consulta ao médico.

Fonte: Saúde Abril

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Comentários

comentários

A importância da vitamina D para quem tem asma

Pneumonia: causas e tratamentos